FEBRAFISCO: O Secretário de Fazenda do Estado de Minas Gerais roeu a corda

O Secretário de Fazenda do Estado de Minas Gerais, Leonardo Colombini, acuado e pressionado pelos Auditores Fiscais de Minas Gerais, deixa de honrar o compromisso que havia firmado com a categoria de Gestores Fiscais, o qual consistia na diminuição do fosso salarial que separa atualmente os cargos de Gestores e Auditores Fiscais. O esperado, conforme o que vinha sendo negociado, era que o fosso hoje existente diminuísse para aproximadamente 20%, até o final deste governo.
 
Esta proposta chegou a ser discutida com a Assembleia Legislativa de Minas Gerais, mas a pedido da própria Secretaria de Fazenda, foram suspensas as conversações com o Legislativo na promessa de que o assunto seria resolvido internamente.
 
Interessante ressaltar que o Subsecretário da Receita Estadual – Gilberto Ramos e o Secretário Adjunto – Pedro Meneguetti, bem como a maioria dos ocupantes dos cargos em comissão de expressão daquela casa, fazem parte da carreira de Auditoria Fiscal.
 
Depois do Secretário de Fazenda, Colombini, ter sofrido de forte pressão advinda do Secretário Adjunto, do Subsecretário e dos Superintendentes Regionais, ação pensada e orquestrada pelos mesmos em benefício próprio, o diminuído Secretário de Fazenda cedeu.
 
Visando intimidar, diminuir e acuar a Diretoria do SINFFAZ, foi premeditado e executado um grande ato de covardia e desrespeito, momento em que se fez presente todo o primeiro staff da Secretaria de Fazenda, onde o Secretário Colombini encontrava-se ladeado por Gilberto e Meneguetti, bem como de todos os superintendentes. Tal ato foi para garantir que o Secretário não fizesse justiça e nem cumprisse o acordo anteriormente assumido.
 
Os dirigentes do SINFFAZ, sindicato a nós filiado, relataram que foi montado todo um circo com finalidade de intimida-los, pois já esperavam que o comunicado a ser feito pelo Secretário seria contrário a tudo o que havia sido conversado e acordado anteriormente. O modo como os dirigentes do Sindicato dos Técnicos em Tributação, Fiscalização e Arrecadação – SINFFAZ foram tratados nesta reunião foi de absoluta falta de respeito e consideração, fato pelo qual deixamos aqui o nosso ato de repúdio e manifestamos a nossa indignação.
 
Entenda o acontecido através dos links abaixo, relacionados:
 
 
http://www.sinffaz.org.br/sinffaz_ler_noticia.php?id=1824
 
 
http://www.sinffaz.org.br/sinffaz_ler_noticia.php?id=1829
 
 
A FEBRAFISCO encaminhou expediente ao Exmo. Sr. Governador de Estado de Minas Gerais expondo os fatos e pedindo que haja interferência nesta questão, pois o atual Secretário de Fazenda encontra-se subjugado e sem força de reação face às ações corporativas praticadas pelos Auditores Fiscais, os quais não visam o interesse público, mas tão somente o interesse de uma carreira encastelada no poder da mais importante Secretaria de Minas Gerais.
 
 
 
 
 
Paulo César Marques da Silva
Presidente da Febrafisco
 
 
 
OBS: A presente matéria também foi postada no site da FEBRAFISCO, acessível por meio do link abaixo:
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *